OS SAMURAIS URBANOS E A PRATICA DAS ARTES MARCIAIS NOS NOSSOS DIAS

Por Ana Sepulveda, praticante de jisei budo e Socióloga.  

Este é o primeiro de dois artigos sobre os benefícios da prática das artes marciais nos dias de hoje. Numa época em que se busca a valorização do indivíduo, em que as pessoas investem cada vez mais em si e na busca da felicidade e onde crescem os ginásios de crossfight, proponho uma breve reflexão sobre o valor acrescentado das artes marciais. Espero que gostem da leitura e que seja inspiradora.

O Samurai era um soldado da aristocracia japonesa e actualmente é o símbolo desta cultura que encerra em si os traços ideais do povo japonês: lealdade, honra, mente focada e atenção aos detalhes, entre outros. Enquanto guerreiros, tinham como missão defender os seus Daymio (senhores fudais) e regiam-se por um código de conduta e de ética muito rígido (Bushido). 

Seguir o Bushido (caminho daquele que se prepara para enfrentar a adversidade) era dar ênfase à lealdade, fidelidade, coragem, justiça, educação, humildade, compaixão, honra e acima de tudo, viver e morrer com dignidade. Esta forma de estar aplicava-se tanto ao campo de batalha como à vida em tempo de paz, marcava a forma de estar e o estilo de vida do Samurai.

Os Samurai prezavam particularmente o treinamento militar. Através da prática das artes marciais reforçavam tanto a técnica como o espírito e a mente, através da autodisciplina e do autocontrole, com o intuito de estarem sempre preparados para as situações mais adversas possíveis.

A prática das artes marciais a que se dedicavam tem-se mantido ao longo dos séculos, e nos nossos dias tem sido revisitada pelo mundo do fitness, que vê nelas a fonte de inspiração necessária para o desenvolvimento de novos conceitos/modalidades. Como socióloga, praticante de artes marciais e de fitness, é-me interessante reflectir sobre esta apropriação do fitness de algumas componentes das artes marciais. 

O Relatório de Tendências do Fitness para 2017 (Worldwide Survey of Fitness Trends, do American College of Sports Medicine) elenca 20 grandes tendências que marcaram o mundo do Fitness. Destas, 5 ajudam a compreender esta contínua apropriação do léxico marcial, pelo fitness e que são:

  1. A necessidade de criar novas formas de combater o excesso de peso;
  2. Treinos intervalados e de alta intensidade;
  3. Treinos de força;
  4. Treinos de grupo;
  5. Treinos funcionais.

Se em Portugal é recente a existência de ginásios e academias dedicadas ao combate e ao crossfight, este fenómeno surge em 2010, com mais força na Austrália e depois Estados Unidos, Brasil e Europa. 

Respondendo às necessidades de aumentar a resistência física, a promoção de um corpo saudável, o crossfight responde também ao desejo de desenvolver uma mente forte e combativa, num ambiente de alguma competição entre praticantes, seja ela explícita ou não.

Desta forma, o crossfight vai ao encontro de duas grandes motivações: combate ao stress e à incerteza da vida moderna e promoção da longevidade, onde corpo e mente são trabalhados no sentido de promover um envelhecimento positivo.

Contudo, a apropriação que se faz das artes marciais é bastante epidérmica, eficaz no cumprimento dos objectivos a que se propõe mas parcial naquilo que incorpora das artes marciais.